5. Valor e trabalho produtivo

Num texto intitulado « Una concepción puramente social del valor y el trabajo productivo » (pdf 0.3 Mo), J.Gouverneur sintetiza as principais concepções theóricas subjacentes a seu manual. Os pontos de vistas defendidos, justificados pela preocupação de coerência conceitual, contribuem para renovar certos aspectos fundamentais da teoria econômica marxista. Este texto é dirigido prioritariamente aos especialistas.

Resumo

O valor é aqui definido como “trabalho indiretamente social”, ou seja, como trabalho reconhecido como socialmente útil pela venda do produto. Este critério exclusivo permite incluir no conceito de mercadoria, ao lado dos bens materiais, o conjunto dos serviços, com a condição de que eles sejam vendidos.

A adoção do critério de trabalho indiretamente social remete à questão da distinção habitual entre atividades de produção e atividades de circulação: na medida em que haja venda ambas as atividades produzem mercadorias e valor. Uma distinção nova é, entretanto, introduzida entre as atividades de circulação (que demandam tempo) e os atos de circulação (que são instantâneos): as primeiras pertencem à produção em seu sentido amplo e podem dar lugar à criação de valor e de mais-valia; as segundas, pelo contrário, não podem criar nem valor e nem mais-valia.

A adoção do critério de trabalho indiretamente social também põe em questão as concepções habituais que dizem respeito ao trabalho mais qualificado e aquele mais intensivo. Estes não criam mais valor do que o trabalho médio. Mas eles constituem fatores de aumento da produtividade e são tratados como tais: se estão limitados a uma empresa particular, dão lugar à transferência de mais-valia; se estão generalizados em toda a economia, dão lugar a uma produção de mais-valia relativa. Uma distinção nova é introduzida então entre exploração econômica e exploração física, que podem evoluir em sentidos opostos.

A adoção do critério de trabalho indiretamente social contribui igualmente para questionar as concepções tradicionais do “valor da força de trabalho” e as relações entre este e o salário monetário.

Os pontos de vistas não convencionais adotados dissociam completamente a definição do trabalho produtivo e a definição das classes sociais. Sobre o plano da teoria econômica, as posições defendidas apresentam a dupla vantagem do rigor e da simplicidade: de uma parte elas promovem um enfoque teórico mais vigoroso e coerente; de outra parte, mesmo mantendo a preocupação com a coerência conceitual, tais posições tem por vantagem adicional simplificar a teoria e facilitar as estimativas estatísticas de diversos conceitos chave.

Topo da página

Indice

Introducción

1. Trabajo y valor
1.1. El trabajo en la sociedad capitalista
1.2. El valor como trabajo indirectamente social

2. El debate en torno a los conceptos de mercancía y trabajo productivo
2.1. Enfoques tradicionales
2.1.1. La exclusión de las actividades de circulación y supervisión
2.1.2. La exclusión de los servicios no materiales
2.2. Un enfoque alternativo
2.2.1. Principios
2.2.2. Respuesta a dos objeciones
2.2.3. Relevancia de los dos conceptos de trabajo productivo
2.2.4. Trabajo productivo y clases sociales

3. El debate en torno al trabajo más productivo, más intensivo, más calificado
3.1 Enfoques tradicionales
3.1.1. La creación de valor
3.1.2. El efecto sobre la tasa de plusvalía
3.2. Un enfoque alternativo
3.2.1. Comentarios críticos a los enfoques tradicionales
3.2.2. Principios alternativos
3.2.3. Explotación física y explotación económica

4. Las relaciones entre salario y valor de la fuerza de trabajo
4.1. Enfoques tradicionales
4.2. Un enfoque alternativo
4.2.1. Principios
4.2.2. Crítica de enfoques rivales

5. Conclusión
5.1. Una breve síntesis
5.2. Impacto sobre la  teoría económica marxista
5.3. Impacto ideológico y sociopolítico

Topo da página